sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

EM QUE VOCÊ BASEIA SUA CONFIANÇA?

O texto bíblico nos diz que no 4º ano do reinado de Ezequias, o 7º de Oséias em Israel, Senaqueribe, o rei da Assíria marchou contra Samaria e a cercou (2Rs 18:9). Após três anos de batalha, o exército assírio conquistou Samaria e levou cativo o reino do norte – Israel. Este foi o fim das dez tribos do norte como nação constituída. E isto aconteceu, ainda segundo o relato bíblico, porque os israelitas não obedeceram ao Senhor, o seu Deus, mas violaram a aliança (2Rs 18:12).
Seguindo a sua gana de poder, Senaqueribe seguiu guerreando e conquistando até chegar às portas de Jerusalém, cercando-a e intimidando o povo e sua liderança. Antes, porém, de a história começar a virar, Ezequias cometeu um erro estratégico – observe que a Bíblia não esconde os erros dos seus heróis: ele fraquejou e entregou tesouros sagrados ao conquistador, minando a resistência e aumentando o ímpeto assírio.
Com a cidade cercada e os suprimentos se acabando, Senaqueribe mandou mensageiros para desafiar o povo. A liderança de Jerusalém ainda tentou uma última estratégia pedindo que a troca de mensagens fosse feita em aramaico – a língua dos opressores – e não em hebraico (2Rs 18:26). Tentavam com isso diluir o constrangimento causado pela situação. Veja até que ponto pode chegar os servos de Deus quando apenas confiam em suas forças!
Mas nada disso deu resultado e o rei da Assíria questionou:
Digam isto a Ezequias: “Assim
diz o grande rei, o rei da
Assíria: ‘Em que você baseia
sua confiança? Você pensa que
meras palavras já são
estratégia e poderio militar.
Em quem você está confiando
para se rebelar contra mim?’”
(2Rs 18:19-20)
Senaqueribe tinha consciência de seu poderio bélico e sabia que naquele momento nenhum exército de nação alguma da Terra poderia enfrentá-lo e vencê-lo, nem o Egito: aquele caniço quebrado (2Rs 18:21).
O relato das vitórias assírias era realmente assustador e o mensageiro de Senaqueribe insistia em que as palavras do rei Ezequias eram um engano e portanto o Senhor não livraria Jerusalém e a cidade seria entregue nas mãos dos inimigos (2Rs 18:30). Uma batalha de contornos épicos estava se formando e uma vitória arrasadora das tropas de Senaqueribe seria perfeitamente previsível – se olhássemos apenas sob a ótica militar.
Mas eis que a história começou a mudar:
Ao ouvir o relato, o rei Ezequias
rasgou as suas vestes, pôs
roupas de luto e entrou no
templo do
Senhor.
(2Rs 19:1)
A oração que lemos nesta passagem é uma das mais sinceras e profundas de toda a Bíblia. Em atitude de humildade perante o Senhor, o rei colocou diante de Deus as cartas de Senaqueribe e reconheceu que a maior ofensa não era contra o rei, mas sim contra o próprio Deus vivo (leia toda a oração em 2Rs 19:15-19 e aprenda um modelo de prece que toca o Senhor e faz mudar a história).
Deus então entrou com providência enviando o profeta Isaias com a resposta a oração do rei.
Ele não entrará nesta cidade
(...) Eu defenderei esta cidade
e a salvarei por amor de mim e
por amor de Davi meu servo!
(Is 37:33-35 e 2Rs 19:32-34)
A história bíblica narra que o próprio Senhor naquela mesma noite entrou no acampamento das tropas assírias, matou mais de cem mil homens e fez o exército debandar, voltando para Nínive, conforme a profecia.
A resposta ao desafio de Senaqueribe foi dada pelo Senhor que foi desafiado. Diferentemente dos outros povos que foram conquistados pela Assíria, Judá e o seu rei basearam sua confiança no Senhor e dele veio a vitória.


2 comentários:

  1. Experiencia linda e unica que esse rei viveu,a intimidade com o pai nos leva a isso. Ótimo texto..
    Te desejo um lindo final de semana. http://ladymaregina.blogspot.com.b

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém querida. Realmente a experiência do rei Ezequias é bastante inspiradora.
      Obr. e Abr.

      Excluir